REDDING A PORTLAND - 12 HORAS DE TREM

16/06/2019

O trem devia sair às 3h06, mas não esqueçam que o ponto de partida dele é San Diego, são 31 horas, em torno de 1800 quilômetros. Muitas coisas acontecem no caminho. E ele atrasa. Chegou às 4h17. Recebi dois e-mails comunicando o atraso, mas já estava na estação, levada pelo Papai Noel. Se não era ele, então era irmão gêmeo. kkkkk

Às 3h30 a lua estava linda, na linha no horizonte.

Por mais que eu tenha tirado um cochilo de 2h no período da tarde, foi pra compensar a noite anterior mal dormida. E às 4 horas, já estava me esforçando para ficar acordada. Até a lua já tinha ido dormir.

A plataforma é curta para o tamanho do trem, então ele para, desce uma comissária de bordo, chama pelo nome os passageiros do carro leito, os conduz ao seus lugares. Volta, chama pelos nomes do da classe executiva, e procede da mesma maneira. Nisso o trem anda. Espere, este não é o meu trem.

_ " Keep calm."

Aí ele para de novo, desce outro comissário e agora tenta falar meu nome. kkk. Eles não conseguem, é óbvio. Dizem Miiri. Hahahaha. Tá vendo, eu não sei falar inglês e eles não sabem um simples nome em Português, e escrito. 

Ele me entrega um cartão, e um canadense que estava na estação comigo e outros tanto passageiros, aguardando, me explica falando devagar que é o assento 42. O comissário me ajuda com as malas, são depositadas no andar de baixo. Eu subo. Está tudo bem escuro, mas meu assento é no corredor, perto da escada, e na janela tem uma jovenzinha. O trem está bem cheio. Quando comprei só tinha mais dois assentos na classe econômica, que ainda assim custou US$ 124 com seguro viagem. Mas o espaço é ainda melhor do que o primeiro trem que peguei até Pismo Beach. Dá para esticar bem as pernas, tem um estribo relativamente alto, um apoio para pernas junto ao banco e recosta-se. Só não tem braço entre as poltronas. E tem a tomada de energia, o que facilita muito para manter-me conectada, pois assim posso recarregar a bateria.

Acho que peguei logo no sono, mas com uma movimentação da mocinha eu acordei. Ela estava tirando fotos. Estavámos passando ao lado de um rio pedregoso, dentro da cadeia de Montanhas Cascade. A segunda maior floresta de perenifólias dos E.U.A, a primeira é no estado de Wasington, logo acima no mapa, é a principal para não dizer única vegetação que cobre todas estas montanhas e que dá ao Estado o título de maior produtor de madeira dos Estados Unidos. Também tirei foto da posição que eu estava, e com o escuto, naõ ficou grande coisa. Mas parecia uma floresta encantada.

Mais adiante, o sol nascendo, vermelho, lá longe, no horizonte. Obtive informações que em Wiskeytown estavam tendo um incêncio. A imagem abaixo me fez pensar nisso. Será possível? Não é muito longe de Redding, e seria o meu destino se eu permanecesse mais um dia, algumas áreas do Parque estão liberadas.

E fui dormindo e acordando até umas 8h da manhã, quando mantive-me mais desperta após um café da manhã comprado no andar de baixo do vagão seguinte. Comi com um bolinho em forma de rosca, macio e gostoso. Coloquei dois cremes no café e deixei aberta a tampa para não me queimar mais.

A moça chegou ao seu destino por volta de 10 horas, e pulei para o lugar dela. Ninguém sentou ao meu lado até meu destino. Louvado seja!

A parte mais bonita foi, sem dúvida, a de florestas de pinheiros e os picos nevados. Um deles o mais alto do Oregon, com mais de 3000 metro de altitude, o Hood. 

Quando vi o mapa enquanto preparava meu roteiro, imaginava a beleza natural deste lugar. Não pude explorar um pouco melhor, mas atravessar estas montanhas de trem, com certeza é uma experiência única. Acho que não teria aproveitado tanto se fosse de ônibus. Aliás, eu queria passar de trem. Só não sabia que ele fazia este trecho. Não localizei no Google Maps.  O trajeto completo, de San Diego, começando com o Pacific Surfliner, e passando para o Coaststarlight até Seattle, demora 38 horas sem considerar os atrasos. Uau! Gostaria de fazê-lo de ponta a ponta, subindo e descendo para conhecer todos os lugares do caminho. Quem sabe um dia...

Quando chega a grande planície novamente, as plantações vão surgindo, um tanto de uvas, outro de maçãs acho, porque se laranjas fossem, estariam carregadas, como vi em alguns lugares. E feno, que eles rastelam e fazem pequenos caminhos amontoados, que depois são recolhidos e acondicionados em grandes retângulos. Não consegui registrar, infelizmente.

E aí surgem as cidades, pequenas primeiro. Fiquei observando a campanha para diminuição da obesidade por aqui. Eles estão forçando a barra com Papai Noel. Vejam como ficaram reduzidos os diâmetros das chaminés. kkkk

Vocês já repararam que as casas são, majoritariamente, de madeira?

A gente assiste filmes americanos desde que se lembra porque, pessoas da minha geração, cresceram assistindo televisão. E cada cidade que passo trás uma destas memórias. Estamos chegando e passo por Albany, Salem e, finalmente, Portland.

Outra coisa que tenho observado, para meu gosto, os americanos são feios. Até San Francisco não pude fazer esta constatação. A mistura de raças até ali são muito grandes, latinos, negros, orientais... Aqui, no entanto, começo a observar pessoas mais brancas, mais obesas, com um voz mais anasalada. Mas vai saber o que pensam de mim...

Peguei um UBER com um Afegão (nascido no Afeganistão), jovem, baixo, branco, de olhos azuis. O carro tinha tecidos de redes cobrindo todos os bancos, muito estiloso. Perguntei de onde era. Ele respondeu e perguntou-me por que?

_ " First, you are beautiful. After, your style."

Depois dele agradecer-me, me corrigi:

_ " No. You are handsome."

_ " Yes, disse ele, beautiful for women and handsome for men."

A tempo.kkkkk

Cheguei um dia adiantada. Como a reserva foi pelo Booking, tomei o cuidado, antes de sair de lá, de mandar uma mensagem para o Hotel. Eles responderam que um dia antes só teriam uma acomodação US$ 10 mais cara, por dia, e que eu teria que ficar os três dias nela. Fazer o que não?

Mas o apartamento resume o que eu gostaria de ter em Portugal. Deve ter uns 30m2, composto de quarto amplo com um quarto de roupas, banheiro de tamanho ideal, e uma pequena cozinha. E tem os acessórios para cozinhar, coisa que pensei em fazer porque queria comer. Minha última refeição, ruim, tem 24h. 

O dono do hotel indicou-me um mercado, mas é na verdade uma conveniência, e só acho comidas prontas ou semi prontas. Comprei um ravioli congelado, com recheio de espinafre e ricota, com molho vermelho. E sabe que estava gostoso. Sorvete, também muito bom. Água. Muffins para os cafés da manhã dos próximos dias. E um pacote de banana chip coberta de chocolate que, vou te dizer, não dá para parar de comer. Mas comi só um pouquinho e parei. Preciso dormir e não dá para fazê-lo de barriga cheia, não na minha idade.

Me espalhei no meio da cama, demorei alguns minutos e dormi, profundamente, com uma única levantada para xixi em 12 horas de sono. Coloquei o sono em dia. E tirei as costas do lugar. kkkk. Não se pode ter tudo.