es-Roteiro do Mochilão pelo Sul Da América

15.02.2018

Aqui vai o link de parte do percurso que pretendo fazer pela América do Sul:

https://goo.gl/maps/Fghb3YwZWrp



Já estou em contagem regressiva, tendo escolhido o dia 11 de outubro, véspera de um importante feriado brasileiro, o da padroeira do Brasil: Nossa Senhora de Aparecida, e constatei que dia 11 é o dia Internacional das Meninas, o que pode ser um bom presságio. Considerando que meu último dia trabalhado antes da aposentadoria foi 08 de março, dia Internacional da Mulher. Que a deusa natureza me acompanhe e me proteja.

A mochila está quase pronta, faltam pequenas coisas. O principal já está todo lá.

Ainda não a pesei, espero não ter que carregá-la ou arrastá-la demais.

As planilhas de roteiro(no link acima) das principais cidades que desejo parar estão atrasadas. Só fiz de Montevidéu, Colônia de Sacramento e Buenos Aires. Mas as grandes cidades sempre exigem mais tempo na preparação e escolhas dos atrativos, temos que analisar distâncias, horários de visitação, preços, se é necessário reservar, como se deslocar... Ontem mesmo, mexendo na planilha de Buenos Aires, tive que trocar um dia inteiro de atividades quando constatei que as 'carreras', ou corridas no hipódromo de Palermo ocorreriam na sexta-feira, por sinal, dia do meu aniversário, enquanto eu lá estiver. Nunca assisti a uma corrida de cavalos e consta como uma atividade interessante. Se não apostar não gasta nada pois a entrada é gratuita.

Já me decidi quanto à hospedagem, e fiz reservas pelo booking.com, mesmo. Os preços das diárias nos hostels escolhidos ficaram em média R$ 50,00 a diária. Mas só fiz as reservas nas 3 primeiras cidades do exterior. Pretendo ir fazendo as próximas quando for completando as primeiras etapas. 

Decidi tentar as caronas com caminhoneiros mesmo. Assim sendo, não tenho ideia do tempo de deslocamento. e nem se consigo fácil. Aliás, nem sei se consigo as caronas. Mas vou tentar. Acho que esse é o fator que mais está me causando angústia, por enquanto. O segundo fator é o de dormir em quartos coletivos com gente desconhecida. Espero não incomodá-los demais com meus roncos. Também me preocupo se darei conta de tantos dias com tão pouca roupa e se será suficiente para as temperaturas que enfrentarei. Não sei dizer qual a sensação maior neste momento, se é a euforia ou o medo. Mas viajar sempre me dá medo, no antes. O durante é sempre espetacular. E o depois, não existe depois. Depois eu já começarei pensar em outra viagem e logo, será antes de novo. 

No mais, acho que já cerquei todas as necessidades que antevejo. Até filme da Netflix estou assistindo dublado em espanhol, para acostumar com o som da língua.

E as coisas imprevisíveis, para estas eu não tenho bola de cristal, mas creio que nesse ponto, a idade e as tantas viagens já realizadas pesarão a meu favor.