es-Penedo (AL) - Uma charmosa cidade histórica

22.02.2018

Penedo significa Grande Pedra, ao Sul de Alagoas, às margens do Rio São Francisco, faz divisa com o Estado de Sergipe e possui um casario preservado, sendo tombado pelo patrimônio histórico.

Escolhi esta cidade como ponto de apoio para visitar o Pantanal Sergipano, pois era a cidade mais próxima onde havia hotel conveniado ao Clube de Turismo da Bancorbras, que usei para minhas hospedagens nesta viagem ao nordeste.

Mas a escolha não poderia ter sido mais fortuita. Uma charmosa cidade histórica que está passando por um processo de enterramento dos fios de eletricidade, com troca dos calçamentos, tudo para tornar a beleza da cidade mais fiel a época de sua construção. Segundo moradores, trata-se de investimento do IPHAN - Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

A primeira vista da cidade, na travessia pela balsa no rio São Francisco, já encanta.

A parte histórica está toda a beira do rio, mas não se engane, ao sairmos em direção à Maceió, encontramos uma cidade com boa estrutura, que abriga seus quase 70 mil habitantes.

O prédio grande e mais moderno que avistamos da balsa, destoa muito do restante da arquitetura. Trata-se justamente do Hotel São Francisco, onde fiquei hospedada, no sexto e último andar, com sacada para o rio, e que compensa o desastre arquitetônico nas lindas vistas proporcionadas.

Como chegamos a tardinha, foi possível dar uma rápida caminhada pela parte mais plana da cidade, junto ao rio, e correr para o hotel, de onde queria apreciar o lindo por do sol, dourando as águas do velho Chico.

Um gostoso lanche na lanchonete do hotel, e cama pois o dia tinha sido exaustivo após 8 horas de estrada. E o dia seguinte prometia, com o passeio pelo Pantanal de Pacatuba.

Manhã seguinte, seguimos cedo para refazer a travessia de balsa, retornando à Sergipe, onde rodamos mais de 200 km entre chegar a Pacatuba e lá transitar por suas belezas naturais. no entanto, 16 h já estávamos de volta, a tempo de visitar o Museu do Paço Imperial em Penedo, passando pela exposição itinerante que falava sobre um ilustre filho da terra que foi prefeito da cidade por mais de uma vez, e que por apreciar as artes cinematográficas, incentivou a realização do Festival de Cinema por aquelas paragens, e que hoje acontece em Gramado, com grande repercussão mundial. No andar superior do sobrado, móveis e ornamentos de várias partes do mundo, dão-nos a noção do modo de vida da nobreza de outrora, mas que não pode ser fotografado.

Na saída do Museu, um homem alto de olhos claros, parecendo gringo numa terra de mulatos, passou por nós cumprimentando-nos apressadamente. Já na rua, não satisfeito, voltou e apertou-nos a mão num sonoro boa tarde.

Como haveria caravana do presidente Lula na cidade naquele dia, logo supus tratar-se de um político. Perguntando ao recepcionista do Museu me responde:

_"É sim. É Renan.

Com uma intimidade que me fez crer ser um vereador ou prefeito...

_ E ele é o que? pergunto.

_ Acho que é senador. É sim, senador.

Ao que espantada olho para minha mãe e concluímos: Renan Calheiros. Em mangas de camisa, cabelos à vontade, irreconhecível.

A movimentação para o 'comício' de Lula já estava grande. Decidimos assim, sair para o outro lado e visitar a parte mais alta da cidade, primeiro passando pela igreja N.Sra. da Corrente, logo ao lado do Museu, e que possui um altar-mor todo folheado a ouro e que segundo a história, escondia escravos fugitivos atrás de uma porta falsa, nesta cidade abolicionista por tradição.


Ladeira acima, lá vamos nós, com fé e coragem, buscando outros atrativos de Penedo. E não nos decepcionamos. Avistávamos uma torre, e soubemos que pertencia a Catedral Diocesana de Penedo. Apesar de encontrar-se fechada, fica numa bela praça, junto a um conjunto arquitetônico bem conservado. Entrei num restaurante que parecia fim da linha, instalado na Casa do Barão de Penedo. É bem sofisticado, e possui uma sacada para o rio. E lá estava ele de novo, o Sol poente. Lindo de doer!

Logo ao lado, a Casa da Aposentadoria, todo o casario é bem conservado, mas dado o horário, nossas visitas foram somente externas, o que pode ser bom, motivo para um retorno.

Adiante, a direita de quem sobe, o Convento Franciscano junto à Igreja Conventual Santa Maria dos Anjos, surgem do alto de  dois grandes lances de escadas na praça em frente aos mesmos.

E pensa que acabou? Quando retornamos ao hotel, resolvemos fazer um lanche antes de subir para o apartamento, assim, após o banho já poderíamos nos acomodar e descansar para a viagem do dia seguinte.

Lanchávamos tranquilamente quando um tumulto teve início na rua do hotel, com ônibus da comitiva do presidente Lula parando na portaria e seguranças e policiais para todo lado, além das imprensa. Pasmas ficamos ao saber que ali se instalariam todos eles. Eram 3 ônibus. Muito burburinho. Cidadãos penedenses querendo uma palavrinha com o presidente, e os recepcionistas ficando louco, pois a reserva tinha sido solicitada pela manhã. Resultado, funcionários com folgas canceladas, chamados às pressas para acomodar todos os hóspedes e preparar as refeições para todo aquele contingente.

Sou apartidária, mas me incomoda a agitação em torno das celebridades, me passa uma sensação de insegurança.

E independente do partido que esteja fazendo campanha, o dinheiro eu sei que é sempre o nosso. Foi uma experiência inesquecível.