es-Alagoas - Sol e Mar o ano inteiro????

12.01.2018

Se estiver no litoral, sim, mar o ano inteiro, é lógico. E o sol?

Estamos em Agosto, no meio do inverno, e aqui em Maceió e adjacências faz um calor delicioso, com uma brisa suave a noite, que torna possível dormir sem ligar o ar-condicionado.

Cheguei ontem a noite em Maceió, através de um voo direto de Guarulhos a Maceió, com duração aproximada de 2h30m. Passamos, minha mãe e eu, a noite no Hotel Mercure Pajuçara, num quarto confortável com uma ducha deliciosa. A hospedagem iniciou às 22h então fizemos nosso jantar no quarto, o room service é de excelente qualidade e funciona 24h.

Depois de um lauto café da manhã, iniciamos uma caminhada pela orla até a feirinha de artesanato da Pajuçara. Lembrancinhas para filhas, netas e amigos, pois talvez não tenhamos outra parada adequada. Sacolinhas nas mãos, toca mais 15 minutos de caminhada até o hotel. O Trânsito da orla é muito disciplinado, tem faróis de alerta junto às faixas de pedestres e os motoristas ficam alertas mesmo. O mar, mesmo no inverno, é de um verde de fazer gosto, praias calmas, praias bravas, em Maceió, tem praia para todo gosto.

Tinha a intenção de visitar o Centro Histórico, mas o tempo ficou apertado. Então, fica para a próxima vez.

Fizemos o check out e seguimos de carro alugado (um Ka Novo) para a Bodega do Sertão pois tinhamos encontro marcado com uma prima, moradora de Maceió. Abraços pra cá, beijos pra lá, fotos de todo lado, almoçamos neste restaurante de comidas típicas a quilo (R$69,50\quilo), cheio de detalhes que retratam a cultura alagoana, inclusive nas vestimentas dos atendentes, muito simpáticos. Além da diversidade de pratos salgados, surpreende com uma variedade enorme de doces e até alguns bolos. Restaurante para turista, mas que vale a pena conhecer.


Como o restaurante fica juntinho da Praia de Jatiuca, aproveitamos para olhar e fotografar mais um pouquinho o mar. Ah! O mar.



Nos despedimos da prima e de Maceió,

 não sem antes registrar uma árvore peculiar

 no caminho de saída.


No caminho para Barra, fui lembrada de meu remédio da hora do almoço. Ótimo, paramos na Massagueira, já no município de Marechal Deodoro, e registramos em fotos e memória a Lagoa de Manguaba. Aproveitamos para comprar umas cocadas e suspiros caseiros com a dona Maria, que não gosta de tirar fotos mas se deixou, gentilmente, fotografar. Tem cocada com amendoim, com maracujá, com castanha, com leite condensado, queimada e branca. Mamãe comprou 4 e eu provei um pedacinho de cada, e nem gosto de cocada.

Seguimos para Barra de São Miguel, chegando um pouco antes das 17h no Hotel Grandeville da Barra. Nos instalamos e fomos tentar fotografar o por do sol no cais. O astro já tinha se escondido mas deixou no céu um alaranjado impressionante que rendeu algumas belas fotos.

Ali conhecemos a Carol, que se aproximou dizendo que me achou bonita. Devolvi o elogio pois ela é linda e perguntei se queria tirar uma foto, ela prontamente se colocou ao lado de minha mãe que ja estava posando junto a uma primavera, e depois, sorridente fez uma foto comigo.

Agora estou aguardando a fome para jantar num restaurante simples e com comida gostosa,  quase em frente ao hotel, já são 20h, mas com tanta comida boa no dia de hoje, a fome nem quer se manifestar.